12 de janeiro de 2012

JORNAL DE SINTRA - MISTÉRIO E AVENTURA

MISTÉRIO E AVENTURA - Secção Policial Orientada pelo SETE DE ESPADAS


Leitores e caros colegas:
O nosso meio é pequeno e refractário a empreendimentos desta natureza. Estou certo que não faltará quem se erga da sua cátedra para nos atirar com a já tão conhecida e velha frase: Literatura de cordel…
Estes catedráticos esquecem-se, todavia, que a literatura de emoção e resolução de problemas policiais são dois dos grandes recreios do espírito. Estadistas de todo o Mundo, afadigados pelo vertiginoso atropelo dos acontecimentos internacionais, buscam um pouco de tranquilidade no exercício cerebral que lhes oferece a leitura dos grandes romances policiais e a resolução dos grandes problemas. Médicos, advogados, engenheiros, senhoras da melhor sociedade, estudantes, cientistas e muitas outras personagens de categoria social, não se envergonham de confessar a sua simpatia e o seu entusiasmo pela boa literatura de mistério e aventura.
Quando fui ate ao nosso director para lhe levar a ideia desta secção, confesso que fui a medo, mas encontrei nele um Amigo, que desde logo aceitou e acarinhou esta resolução, dizendo-nos:
— De vez enquanto, sair fora do sistema rotineiro, também sabe bem…
O facto de nos apresentarem como orientadores desta secção não significa um maior merecimento, simplesmente — era preciso alguém a fazê-lo!…
Confiamos, pois, na benevolência dos nossos leitores e na amizade dos meus camaradas.
Tentaremos agradar e cá os esperamos neste cantinho — que é de todos.
Sete de Espadas


PROBLEMA 1 - CRIME OU SUICÍDIO?O Inspector Charles Hardy foi chamado com urgência a casa do escritor Luiz King, porque este tinha sido encontrado morto no seu escritório.
Introduzido no palácio e depois no gabinete de trabalho do escritor, Charles Hardy verificou que o corpo se encontrava caído sobre a secretária, o braço esquerdo em cima do tampo e o direito caído ao longo da cadeira. No chão, uma pistola sem impressões digitais e em cujo carregador faltavam algumas balas. Um orifício perto da orelha e ligeiramente chamuscado mostrava que a morte tinha sido causada por uma bala disparada a pouca distância.
Depois de em silêncio ter analisado todos estes pormenores, pediu ao criado que fizesse as suas declarações. Este disse:
Como o fazia todas as noites, cerca das 10 horas dirigiu se para a porta do escritório e bateu 3 pancadas, avisando desta maneira que o jantar estava na mesa. O tempo passou e como não era hábito do escritor fazer-se esperar mais do que um quarto de hora, cerca das 10 e meia voltou, batendo e chamando em voz alta. Como não obtivesse resposta, espreitou pela fechadura e viu o escritor na posição em que ainda está. Como não tinha chave, visto que a única Yale que existia estava sempre em poder do escritor, chamou o cozinheiro preto, Jacob, que o ajudou a forçar a porta, verificando depois nada haver a fazer, porquanto do orifício junto à orelha do escritor saía um fio de sangue… Mesmo do escritório telefonou para a polícia e nem ele nem Jacob saíram de lá. Tudo isto poderá ser confirmado por…
— Muito obrigado, já sei como as coisas se passaram!
— Caros colegas, como resolveu Charles Hardy mais este problema?

CHAMADA PARTICULAR

MISS DETECTIVE — Sintra
REPÓRTER SELECT — Amadora
JOSÉ CARLOS SOARES — Sintra
J. A. OLIVEIRA — Galamares
REPÓRTER ENIGMÁTICO — Amadora
ANTÓNIO GODEFROY — Queluz
MIGUEL PESSANHA — Sintra
REPÓRTER X — Amadora
NICK CÁRTER — Sintra
INSPECTOR FEIO — Amadora
CAMELIANO — Sintra
INSPECTOR KING — Amadora
O FEITICEIRO — Sintra
SATANAZ — Amadora
MARIA HELENA D. FERREIRA — Meleças
SALOIO — Caneças
Como dissemos, este cantinho é de todos vós. Até breve.
Sete de Espadas

Sem comentários:

Publicar um comentário