19 de janeiro de 2012

CALEIDOSCÓPIO 19

EFEMÉRIDES – Dia 19 de Janeiro

Edgar Allan Poe (1809-1849)

Edgar Allan Poe (1809-1849)
Esta data e o ano de 1809 é memorável para a literatura policiária.
Nasce em Boston Edgar Poe, por adopção Edgar Allan Poe que é considerado incontestavelmente o criador da narrativa do género. Pode dizer-se que nasceu sob o signo do infortúnio, que em parte ele viria a contribuir, levado pelo génio que havia em si, um génio poeta sensível, onde abunda a fantasia, o sobrenatural, a magia e o terror levados até ao paroxismo da arte. Todavia, soube aproveitar-se, com excepcional brilho imaginativo e lógica matemática, para construir uma narrativa, de um novo tipo, publicada em Abril de 1841 no Graham's Lady's and Gentleman's Magazine, de Filadélfia, intitulada The Murders in the Rue Morgue. Com ela cria um novo género, a narrativa de dedução, cronologicamente o primeiro mito da investigação policiária, no protagonista C. (Charles) Auguste Dupin, que é o herói de mais dois relatos, The Mystery of Marie Roget (1842) e The Purloined Letter (1844). Enquadrados no tema policiário são de referir ainda Thou Art the Man (1844) em que o assassino é a pessoa menos suspeita, norma posteriormente seguida por muitos outros autores, e The Gold Bug (1843), um notável conto de criptografia em que o autor foi mestre e especialista. De resto, para além do policiário, toda a obra, poesia incluída, é de transbordante qualidade. Aconselhamos vivamente uma leitura detalhada de Edgar Allan Poe.

Alexander Woollcott (1887-1943)
Alexander Humphreys Woollcott nasce em Colts Neck, New Jersey-EUA. Escritor, jornalista, crítico teatral e literário escreve vários artigos sobre literatura policiária. Em 1934 reúne os seus melhores trabalhos em While Rome Burns, um bestseller, onde se destaca o texto Hands Across the Sea, sobre a justiça em tempo de guerra e The Mystery of the Hansom Cab onde Woollcott explica a sua perspectiva sobre um acontecimento verídico (O caso Nan Patterson). The Mystery of the Hansom Cab é seleccionado em 2008 pela Library of America para ser incluído na retrospectiva de 200 anos de crimes verídicos americanos e está publicado em True Crime: An American Anthology. O conto de Woollcott Moonlight Sonata está incluído no The Vicious Circle (2007), uma antologia de Otto Penzler com escritores dos anos 20.


Patricia Highsmith (1921-1995)
Nasce Mary Patricia Plangman em Fort Worth, Texas-EUA. Cedo decide ser escritora, apenas com 16 anos. O romance Strangers on a Train (1949) foi um êxito cujos direitos foram adquiridos e levado à tela por Hitchcock em 1951. Em The Blunderer (1954) repete o estilo, entre o suspense e o interesse em fazer sobressair os delinquentes sob os aspectos mais 1955 publica The Talented Mr. Ripley onde põe em evidência as andanças de um estranho personagem, Tom Ripley. Este é culto, educado, sedutor, não é um detective nem um gangster, escroque ou justiceiro, mas um homem totalmente desprovido de consciência, frio ou indiferente, que mata sem escrúpulos, por dinheiro ou por prazer, sem outra razão, talvez para manter o elevado nível de vida. É um homem que vive com a excitação da crueldade. A autora repete em vários romances as aventuras patológicas de Ripley, que parece seduzir os leitores. Highsmith usa também o pseudónimo Clare Morgan no romance The Price of Salt (1952). O ultimo livro Small G -A Summer Idyll (1995) é publicado um mês depois da morte da escritora
Patricia Highsmith é um dos grandes vultos do policiário, com mais de uma trintena de títulos publicados e duas dezenas de contos curtos.

Patricia Moyes (1923-2000)
Patricia Pakenham-Walsh nasce em Dublin, Irlanda. No final da guerra colabora com Peter Ustinov em filmes de ficção. Num período de férias resolve escrever romances policiários. Em 1958 publica Dead Men Don't Ski, o primeiro de uma série de 20 títulos protagonizada por Henry Tibbett e a sua mulher Emmy. A crítica apresenta-a como uma das mais talentosas escritoras do policiário neo-clássico
.



Don Kavanagh (1946)
Nasce em Leicester , Inglaterra Julian Patrick Barnes. Jornalista, critico de televisão, inicia a carreira de escritor policiário, sob o pseudónimo Don Kavanagh,em 1980 com Duffy em que protagonista é um ex-polícia bissexual, Nick Duffy. Nesta série escreve: Fiddle City (1981),Putting the Boot In (1985) e Going to the Dogs (1987).

Thierry Jonquet (1954-2009)
Nasce em Paris. Lança-se na escrita em 1984, considerado um modelo do estilo negro francês, é hoje um dos mais conhecidos escritores franceses de crime/policiário. Thierry Jonquet utiliza quarto pseudónimos Phil Athur e Vince C. Aymin Pluzin para dois ateliers de escrita que dirige; Martin Eden para dois livros relacionados com a série televisiva David Lansky e Ramon Mercader para três romances de ficção política. Depois do primeiro romance policiário, Mémoire en Cage (1982), segue-se Du Passé Faisons Table Rase (1982), Le Bal des Débris (1984) e, sob o pseudónimo Ramon Mercander, Cours Moins Vite Camarade, le Vieux Monde Est Devant Toi (1984). Thierry Jonquet é um escritor galardoado com vários prémios, com destaque para as seguintes obras: La Bête et la Belle (1985), Moloch (1998) e Les Orpailleurs (1993). Pedro Almodovar adapta ao cinema o romance Mygale, com o título A Pele Onde Eu Vivo. Em Portugal estão publicados:
A Morte Pode Esperar (2006); Editora Ulisseia; Título Original: Ad vitam aeternam (2004)
Tarântula (2011); Editora Objectiva; Título Original: Mygale (2002).

Sem comentários:

Publicar um comentário