5 de janeiro de 2012

CALEIDÓSCOPIO 5

EFEMÉRIDES – Dia 5 de Janeiro
Arthur Bernède (1871-1937)
Nasce em Redon, Bretanha, França. Dramaturgo de sucesso publica o livro Cœur de Française, onde apresenta as modernas estruturas de espionagem, apesar de escrito em 1912. Escreve duas centenas de livros: romances históricos, aventuras, policiais e de espionagem. No tema policiário cria o detective Chantecoq, ex-agente da Sureté, que trabalha em colaboração com o filho. A. Bernède escreve também com os pseudónimos Roland d'Albret et Jean de la Perigne.

Roy Peter Martin (1931)
Nasce em Londres. Exerce cargos políticos antes de se dedicar à literatura policiária. Usa dois pseudónimos: James Melville e Hampton Charles. Como James Melville inicia em 1979 a série superintendente Tetsuo Otani com The Wages of Zen. Passada no Japão a série Otani (13 livros) combina excelentes tramas de crime com uma visão fascinante sobre a vida japonesa contemporânea. Como Hampton Charles escreve 3 histórias da série Miss Seeton, uma personagem de ficção que surge em 1968 e desaparece em 1999. São 3 os autores que escrevem 22 títulos diferentes de um género policiário conhecido como cozies (abreviatura de cozy mystery) nos quais a acção decorre em pequenas comunidades e onde as situações dramáticas são encaradas com o humor.

Umberto Eco (1932)
Nasce em Alessandria, Piemonte, Itália. Professor de semiótica é ensaísta, filósofo, critico literário e escritor. Inicia a sua actividade como ficcionista em 1980 com o livro Il Nome della RosaO Nome da Rosa, um bestseller de contornos policiais, adaptado ao cinema em 1986 por Jean-Jacques Annaud. O segundo romance, Il Pendolo Di FoucaultO Pêndulo de Foucault (1988), integra o esoterismo e a magia em temas actuais – futuro da informática e crime organizado.


Arthur Lyons (1946-1980)
Nasce na Califórnia, EUA. A sua estreia no romance policiário é em 1974 com The Dead Are Discreet, início de uma série protagonizada por Jacob Asch, de descendência judia, repórter do L.A. Chronicle, que depois ser preso por se recusar a revelar uma fonte, abandona o jornalismo para se tornar detective privado em Los Angeles. Jacob Asch, é personagem principal de perto de duas dezenas de romances e contos curtos e desaparece prematuramente em The Tongan Nude, um conto curto de 1997. Uma das obras de Arthur Lyons, Castles Burning (1979) é argumento de um telefilme Slow Burn (1986, MCA-TV). Em Portugal A Universal edita um DVD Slow Burn — Mais Ardente Que o Desejo.



UM TEMA — VOLTAR AO PASSADO NO POLICIÁRIO -1
O Nome da Rosa de Umberto Eco é um dos muitos romances policiários que apostam no cenário do passado. Na verdade, a Antiguidade Clássica, a Idade Média, a mais recente Época Vitoriana, têm sido palco de acção dos detectives de todos os tempos.
Steven Saylor, criador de Gordiano — o Descobridor com a série Roma Sub-rosa, que se inicia com Sangue Romano, (Roman Blood-1991) e em doze livros (dois dos quais contos) nos arrasta até ao final do Império Romano.
Linsey Davis leva-nos a Roma dos anos 70 a.C., apresenta-nos Marcus Didius Falco, o homem de mão do Vespasiano.
Paul Daherty escreve A Máscara da Ré (The Mask of Ra-1998), Mortes no Templo de Horus (The Horus Killings-1999), O Roubo do Colar de Anúbis (The Anubis Slayings-2000), Os Assassinos de Set (The Slayers of Set-2001), livros de crime e mistério no Antigo Egipto já publicados em Portugal. Nesta série foram ainda lançados pelo autor os seguintes livros: The Assassins of Isis (2004), The Poisoner of Path (2007) e The Spies of Sobek (2008).
Margaret Doody coloca Aristóteles como investigador policiário, ou equivalente, em Aristóteles Detective (Aristotles Detective-1978), O Enigma de Aristóteles (Aristotle and the Fatal Javelin-1980), A Justiça de Aristóteles (Aristotle and the Poetic Justice-2000) e Aristóteles e os Segredos da Vida (Aristotle and the Secrets of Life-2002), publicados em Portugal. Margaret Doody escreveu ainda Aristotle and the Ring of Bronze (2003), Poison in Athens (2004), Mysteries of Eleusis (2005) e Aristotle and the Egyptian Murders (2010).
Jose Carlos Somoza, premiado com o Gold Dagger Award - 2002 com A Caverna das Ideias (La caverna de las ideas-2000), que decoore na Grécia Classica, onde o decifrador de enigmas é o detective Heracles Póntor.
Elizabeth Peters com a série Amelia Peabody, uma egiptóloga, também faz uma viagem ao passado. A série reúne duas dezenas de livro e em Portugal estão publicados: Um Crocodilo na Duna (Crocodile on the Sandbank-1975), A Maldição dos Faraós (The Curse of the Pharaohs-1981), O Caso da Múmia (The Mummy Case-1985), Um Leão no Vale (Lion in the Valley-1986), Um Crime do Museu Britânico (Deeds of the Disturber-1988), O Último Camelo Caiu ao Meio-Dia (The Last Camel Died at Noon-1991) e A Cobra, o Crocodilo e o Cão (The Snake, the Crocodile, and the Dog-1992).
Brad Geagley situa O Ano das Hienas (Year of the Hyenas-2005) no cenário do Egipto e Ramsés III onde actua Semerket, um escriba do Departamento de Investigação e Segredos, que é também um detective beberão e de péssima reputação, mas que não se deixa enganar com facilidade.
Com acção na Idade Média O Nome da Rosa desenvolve uma intriga de ambiente medieval, protagonizado pelo frade franciscano William de Baskerville, senhor de um saber enciclopédico, e pelo jovem discípulo Adso de Melk,. A grande biblioteca de uma abadia italiana é o centro do enredo labiríntico onde há homicídio, pistas, suspense e revelações de William.
Também com acção no início do séc. XII a série do Irmão Cadfael, monge-botânico-detective do Mosteiro de Shrewsbury situado a oeste da Inglaterra junto ao País de Gales desvenda intrigantes mistérios . A autora, Ellis Peters tem sido galardoada com vários prémios. Entre nós, as Publicações Europa-América editaram 21 títulos desta série.
De Michael Jecks, reportado a Devon e ao séc. XIV, saiu O Último Templário (The Last Templar-1995), cujo personagem principal é Sir Baldwin, almoxarife do Castelo Lydford.
Em Lápides Mortais (Death Comes as Epiphany-1993), de Sharan Newman, a detective é uma jovem noviça Catherine Levendeur do Convento do Páriclo. Este livro recebeu o Macavity Awads – Best Frist Mystery de 1994. A autora escreveu já uma dezena de livros para esta série que se passa em França no séc. XII. Em Portugal foi também editado A Porta do Demónio (Devil’s Door-1994), ambos pela Bertrand Editora.

M. Constantino

Sem comentários:

Publicar um comentário