15 de maio de 2012

CALEIDOSCÓPIO 136

EFEMÉRIDES – Dia 15 de Maio
Michel Audiard (1920
Nasce em Paris. Realizador de cinema e argumentista com uma carreira de 37 anos ligada ao cinema e participação em 107 longas-metragens é destacado pelas características que imprime aos diálogos dos seus filmes. Entre 1949 e 1978 escreve 10 romances, na linha do policial negro, muitos deles mais tarde adaptados ao cinema pelo próprio autor: Priez Pour Elle (1950), Méfiez-Vous Des Blondes (1950)
Massacre En Dentelles (1952), Ne Nous Fâchons Pas (1966) com Marcel Jullian, Le Terminus Des Prétentieux (1968), Mon Petit Livre Rouge (1969), Vive La France (1973) Le Petit Cheval De Retour (1975) Répète Un Peu Ce Que Tu Viens De Dire (1975) e La Nuit, Le Jour Et Toutes Les Autres Nuits (1978)

Meg Gardiner (1957)
Nasce em Oklahoma. Depois de exercer advocacia em Los Angeles e ensinar Escrita na Universidade de Califórnia muda-se para perto de Londres e dedica-se à escrita com grande sucesso. Cria a série Evan Delaney, iniciada em 2002 com China Lake que recebe um Edgar Award e tem 5 livros publicados: China Lake (2002), Mission Canyon (2003), Jericho Point (2004), Crosscut (2005) e Kill Chain (2006). Em 2008 cria uma nova série, Jo Beckett uma perita forense, que logo com o primeiro livro conquista também um prémio: Times Reviewers’ Choice Award for Best Procedural Novel; fazem parte desta série The Dirty Secrets Club (2008), The Memory Collector (2009), The Liar's Lullaby (2010), The Nightmare Thief (2011). A escritora tem agendada a publicação de um novo romance para Julho deste ano: Ransom River. Em Portugal as Edições Asa publicaram em 2007, Trevas Sobre China Lake, o primeiro livro da autora.


TEMA — CONTO — A ÚNICA SAIDA
De Alphonse Allais (1854-1905)
Houve em tempos um senhor muito rico que se aborrecia enormemente. Desta sorte, para dissipar o tédio utilizava os seus contemporâneos num sem número de farsas, todas elas do pior gosto, esclareçamos desde já.
Certa manhã, chegando àquela praça pública onde por hábito se reúnem os pedreiros que procuram um emprego, ei-lo que faz uma proposta a dois deles com ar de serem um tanto estúpidos:
— Querem ganhar hoje vinte francos cada um?
— Nem se pergunta, senhor!
— Oiçam então! Trata-se de uma parede a construir já e com a maior rapidez, para que fique logo seca e seja indestrutível, mal vocês acabem de levantá-la.
Os dois pedreiros vão arranjar tudo o que é preciso: pedra de alvenaria e um certo cimento que eles muito bem conhecem.
O senhor rico fá-los subir para um carro e leva-os a um edifício muito, muito afastado, à distância de um tiro da casa do Diabo mais velho.
Manda-os entrar para um pequena sala iluminada por duas janelas em ogiva, muito estreitas e robustamente gradeadas, que filtravam a claridade de um velho pátio (um poço, melhor diríamos) que mais lembrava um congresso das ervas daninhas de todas as floras.
Diz um dos pedreiros:
— Isto por aqui tem mau focinho!
Entretanto, o senhor rico dá instruções sobre o trabalho: uma porta que tem de ser fechada com uma parede. Um “luís” logo de entrada, outro depois da tarefa concluída.
A noite começava a descer no instante preciso em que a última pedra era assente.
Os pedreiros enxugavam com a manga o suor da fronte, na satisfação daquele trabalhinho tão bem feito.
A sua face foi no entanto invadida por uma palidez súbita. A porta…  aquela porta que eles tinham fechado com tanta consciência (ou inconsciência), a porta… era a única saída da sala!


DICIONÁRIO DE AUTORES CONTEMPORÂNEOS DA NARRATIVA DE ESPIONAGEM (3)

3 – ALFU (ALAIN FUZELLIER)
1954

Alfu tem dedicado parte da sua vida ao reconhecimento da chamada literatura popular, desenvolvendo actividade não só na área editorial mas também trabalhos de pesquisa e de escrita relevantes.
Alfu cria em 1984 a revista Encrage, que considera uma verdadeira enciclopédia de a outra literatura, forma adoptada pelo autor para se referir à literatura popular.
Alfu é responsável pelo Centro Rocalombe — Centro de Internacional do Romance Popular — e é um investigador filiado no CRAL — Centro de Pesquisa de Arte e Linguagem.
Entre os livros escritos por Alfu destaca-se um sobre Léo Malet (criador do 1º detective privado francês) e um outro sobre Gaston Leroux e uma enciclopédia dedicada a Fantômas onde faz a análise detalhada da obra de Pierre Souvestre e Marcel Allain
Sobre a narrativa de espionagem, em L’Encyclopédie de SAS et du Commander (1983) Alfu analisa o romance francês contemporâneo de espionagem através de SAS, a série de Gerard de Villiers, e de Commander a série de Georges-J Arnaud. Resumindo cada um dos títulos publicados Alfu centra-se sobre a linha de construção dos textos e sobre os temas. É considerada uma obra de leitura indispensável aos interessados na literatura de espionagem.
Alfu é ainda o autor da série Robert Danfort, um detective que por vezes se envolve no universo de espiões.





4 – AMBLER (ERIC)
1909 – 1998

Eric Ambler

Este autor britânico inicia a carreira literária em 1936 e depressa foi reconhecido como um escritor notável devido à sua originalidade. É muitas vezes considerado como o inventor do thriller político moderno e o seu talento foi reconhecido e elogiado por outros escritores, como John Le Carré e Antony Boucher, ou por mestres como Orson wells e Alfred Hitchcock.
Eric Ambler introduz uma nova arquitectura na ficção de espionagem, pela abordagem diferente e pelo realismo que imprime à narrativa. Os heróis de Eric Ambler não são profissionais mas pessoas vulgares enredadas acidentalmente numa teia de espionagem. O autor usa o pseudónimo Eliot Read nos livros  que escreve em conjunto com o escritor australiano Charles Rodda.

Bibliografia Eliot Read
Skytip  (1950), Tender To Danger (1951), também editado com o título Tender To Moonlight, The Maras Affair (1953), Charter To Danger (1954) e Passport To Panic (1958).


Bibliografia Eric Ambler

The Dark Frontier (1936)
Uncommon Danger (1937), também editado com o título Background to Danger
Epitaph For A Spy (1938)
Cause For Alarm (1938)
The Mask of Dimitrios (1939), também editado com o título A Coffin for Dimitrios
Journey Into Fear (1940)
Judgment On Deltchev (1952)
The Schirmer Inheritance (1953)
The Night-Comers (1956), também editado com o título State of Siege
Passage Of Arms (1959)
The Light Of Day (1962), também editado com o título Topkapi
A Kind Of Anger (1964)
Dirty Story (1967)
The Intercom Conspiracy (1969), também editado com o título The Quiet Conspiracy
The Levanter (1972)
Doctor Frigo (1974)
Send No More Roses (1977), também editado com o título The Siege of the Villa Lipp
The Care Of Time (1981)


EDITADOS EM PORTUGAL:

1 - A Máscara de Dimitrios
Publicado pela 1ª vez pela Editorial Século (1946)
E ainda pela
Editorial Caminho (1983)
Tradução de Fernanda Pinto Rodrigues
Colecção Mamute: Nº9
Título Original: The Mask Of Dimitrios

2 - A Jornada do Medo
Publicado pela 1ª vez pela Sociedade Nacional de Tipografia (1948)
Tradução de Alberto Pimentel
É também editado com o seguinte título
Assassino A Bordo?
Tradução de Manuela Santos
Edições 70 (1983)
Colecção Álibi: Nº3
Título original: Jorney Into Fear
Este livro é reeditado em 1991 pelas Edições 70 , na colecção Álibi, Clássicos do Policial Nº28, com o título Viagem Para o Medo

3 – Réu De Alta Traição
Tradução de Carlos José Peres
Editorial Século (195?)
Colecção As Grandes Obras de Mistério e Acção
Título Original: Judgement On Deltechev

4 – Um Assassínio Em Milão
Tradução de Luísa Derouet
Editorial Século (1950)
Colecção As Grandes Obras de Mistério e Acção
Título Original: Cause For Alarme

5 – Topkapi
Tradução de Maria Manuela Hentiques
Portugália Editora (1965) e Círculo de Leitores (1973)
Colecção Cinema: Nº5
Título Original: Topkapi

 
6 – Correndo Contra o Tempo
Tradução de Emanuel Lourenço Godinho
Gradiva (1984)
Colecção Não Incomode: Nº7
Título original: The Care Of Time

7 – Epitáfio Para Um Espião
Editorial Caminho (1984)
Colecção Caminho de Bolso Policial: Nº192
Título original: Epitaph For A Spy


Sem comentários:

Publicar um comentário