1 de maio de 2012

CALEIDOSCÓPIO 122


EFEMÉRIDES – Dia 1 de Maio
Pierre Caillet (1928)
Nasce em Paris. Autor de uma dezena de policiários, na linha da literatura polar francesa. Em 1962 recebe dois prémios: O Prix du Roman D’Aventures com Cette Morte Tant Desireé e o Grand Prix de L’Imaginaire Jeunesse com Imbroglio Chinois, um romance de espionagem.

Frank Parrish/Ivor Drummond (1929 – 2000)
Roger Erskine Longrigg nasce em Edimburgo, Reino Unido. Em 1959 dedica-se exclusivamente à escrita de vários estilos literários, utilizando diferentes pseudónimos, o que causa algum mistério à volta do verdadeiro autor de algumas das suas obras. Publica no total 55 livros, sob o próprio nome e sob os pseudónimos, Grania Beckford, Megan Barker Laura, Black e Rosalind Erskine. No campo do policiário Roger Longrigg escreve thillers de mistério como Frank Parrish, thillers de espionagem como Ivor Drummond e comédia negra como Domini Taylor.
Frank Parrish cria a série Dan Mallett, iniciada em 1977 com Fire In The Barley com um total de 9 livros; Ivor Drummond escreve também 9 livros, todos da série Jennifer Norrington, que começa em 1969 com The Man With The Tiny Head e acaba com The Diamonds Of Lorretta em 1978.

Andrew Coburn 1932
Nasce em Exeter, New Hampshire. EUA. Escreve o primeiro romance, The Trespassers em 1974 e seguem-se mais 11 livros até My Father’s Daughter em 2007. Cria ainda a série James Morgan com 2 livros publicados e a série Rita Gardella O'Dea, com 3 romances Sweetheart (1985), Love Nest (1987) e Goldilocks (1989), nomeado em 1990 para o Edgar Award Best Novel. Tem as suas obras traduzidas em 14 línguas e 3 delas foram adaptadas ao cinema.


TEMA — DICIONÁRIO DE AUTORES CONTEMPORÂNEOS DA NARRATIVA DE ESPIONAGEM (1)
Aqui está o tema prometido. Começa por uma pequena introdução, seguindo-se os autores por ordem alfabética, como convém a um dicionário.

INTRODUÇÃO
Encontramos informação de busca de informações e espionagem desde a Bíblia (séc. XII a.C.) e Ramsés II (séc. XII a.C.) a Alexandre Magno, Ciro, Júlio César, Augusto, Sexto Julius Frontinus, Sun Tzu etc. Mais recente, na Idade Média, Renascença e Idade Moderna, multiplicam-se os casos de espionagem, traição e dor, nem sempre, mas com maior frequência ligados aos exércitos ou à guerra, aparecem as primeiras instituições de espionagem e contra espionagem, prontas a conhecer o que cada um possui, explora ou pensa, em tempo de guerra ou de paz. Vai mais além, cresce a espionagem económica no comércio e na indústria, entra em grupos, associações, religiões e famílias.
A realidade é a ficção, a ficção trabalha a realidade e utiliza a própria imaginação dos autores para se adiantar à ficção, cria heróis e mitos. O precursor inegável é James Fenimore Cooper (1789 - 1851), criador do jovem oficial britânico Harvey Birch, que se infiltra na retaguarda das linhas americanas na guerra da independência. Segue-se a Baronesa d’ Orczy (1865 – 1947) com o famoso The Scarlet Pimpernel (1905), onde Sir Percy Blakeney, ocupa o lugar de personagem principal. Segue-se um folhetim Maître de Forges (1882) de Georges Ohnet (1848 – 1918), não antes o conhecido William Le Queux e outros autores relevantes

Joseph Conrad (1857 – 1924)
The Secret Agent (1907)
Under Western Eyes (1911)

Sir Arthur Conan Doyle (1859 – 1930), integrados na literatura sobre Sherlock Holmes A Scandal In Bohemia (1891)
A The Naval Treaty (1893)
The Adventure of the Dancing Men (1893)
The Adventure of the Bruce-Partington Plans (1908)
His Last Bow (1917)

Erskine Childers (1870 - 1922)
The Riddle of the Sands: A Record of Secret Service (1903)

Somerset Maugham (1874 – 1933)
Ashenden, or the Britihs Agent

Louis Joseph Vance (1879 – 1933)
The Lone Wolf (1914)
The False Faces (1918)
Alias the Lone Wolf (1921)
 Red Masquerade (1921)
The Lone Wolf Returns (1923)
The Lone Wolf's Son (1931)
Encore the Lone Wolf (1933)
The Lone Wolf's Last Prowl (1934)
The Lone Wolf and the Hidden Empire (1947)

John Buchan (1875 - 1940)
The Thirty-Nine Steps (1915)
Greenmantle (1916)
The Power House (1916)
Mr Standfast (1918)
The Three Hostages (1924)
The Courts of the Morning (1929)
A Prince of the Captivity (1933)

William Le Queux (1864 – 1927)
Guilty Bonds (1891)
The Great War In England In 1897 (1894)
A Secret Service, (1896)
England’s Peril (1899)
Secrets of the Foreign Office (1903)
The Man from Downing Street (1904)
The Czar's Spy (1905)
The Invasion of 1910 (1906)
Revelations of the Secret Service (1911)
The German Spy (1914)
Number 70, Berlin (1916)
The Spy Hunter (1916)
Donovan of Whitehall (1917)
Hushed Up at German Headquarters (1917)
The Bomb-Makers (1917)
Behind the German Lines: (1917)
Sant of the Secret Service (1918)
The Stolen Statesman (1918)
Cipher Six (1919)
The Intriguers (1920)
No. 7 Saville Square (1920)
In Secret (1920)
Hidden Hands (1926)
The Secret Formula (1928)

E estamos prontos a entrar no “Dicionário”
M. Constantino

DICIONÁRIO DE AUTORES CONTEMPORÂNEOS DA NARRATIVA DE ESPIONAGEM

1 – AARONS (EDWARD S.)
1916 – 1975

Edward Sidney Aarons nasce em Filadélfia EUA. Estuda Literatura e História na Universidade de Columbia. Em 1933 ganha um concurso de short stories, ainda enquanto estudante. Inicia a carreira literária em 1938 e em 1955 cria Sam Durell, o agente da C.I.A. que é o personagem central de 42 livros que têm em comum a palavra “Assignment”, com o significado de “Missão”. A série dura mais de 20 anos: o primeiro livro é Assignment to Disaster (1955) e o ultimo Assignment Afghan Dragon (1976). A primeira aventura de Durell é nos Estados Unidos, mas a maioria decorre em lugares exóticos.
O autor utiliza os pseudónimos Edward Ronns e Paul Ayres, este apenas para Dead Heat em 1950.

Sem comentários:

Publicar um comentário